O Fernando, o Rui Pedro, o Carlos e o Vento

Era uma vez, três irmãos que viviam no campo com sua mãe. A mãe chamava-se Susana e era muito velha. Os três levaram um saco de milho para o moinho para amassar e fazer papas. Mas o vento, cada vez que iam ao moinho, levava sempre o milho.                         

Certo dia, os três irmãos foram à procura do vento e encontraram o vento num castelo. Os três ralharam muito com o vento mas não tinha sido ele o culpado. Como o vento teve pena deles deu-lhes uma toalha mágica . Eles só precisavam de dizer: Toalha. põe a mesa e aparecia um banquente.                                                                                     

No caminho para casa, e depois de muito andarem, ficaram com sono e pararam numa estalagem. O dono da estalagem perguntou-lhes o que é que eles queriam e eles disseram que queriam dormir mas que não tinha dinheiro, mas que podiam dar-lhe um banquete. Então,  colocaram a toalha na mesa e disseram as palavras mágicas.  Apareceu logo um banquete. À noite, o estalajadeiro Diogo roubou a toalha e colocou uma igual, em vez da verdadeira. Quando o Fernando, o Rui Pedro e o Carlos chegaram a casa, a toalha já não era mágica.  Resolverem ir procurar de novo o vento que lhes ofereceu um burro especial.                                                                                         

No dia seguinte, vinham a caminho de casa com um burro.  Tiveram sono e pararam na estalagem. O estalajadeiro perguntou-lhes o que é que eles queriam. Eles  disseram  que queriam dormir mas agora podiam pagar. Disseram ao burro o seguinte:                        

-Burro, burro cospe dinheiro . E o burro cuspiu muito dinheiro.                                     

À noite, o estalajadeiro Diogo roubou o burro e colocou outro igual no mesmo sitio. Quando chegaram a casa os trê irmãos disseram ao burro para cuspir  dinheiro mas o burro não cuspiu.                                                                                               

No dia seguinte, os três irmãos foram ao castelo do vento e o vento desta vez deu-lhes um pau mágico. No caminho para casa os três pararam na estalagem e o estalajadeiro perguntou -lhes o que eles queriam. Os três disseram que queriam as suas coisas e o estalajadeiro Diogo disse que não sabia das coisas deles. Então os três irmãos disseram:                                                                                                                     

 - Pau, pau sai do saco e bate sem parar.                                                                                                    

 O  pau saiu do saco e  bateu na cabeça do Diogo. O Diogo disse-lhes onde estava as coisas deles. O Carlos, o Rui Pedro e o Fernando foram buscar as suas coisas, a toalha e o burro, e disseram ao pau para   ele parar e o pau parou.                                                                                        

Chegeram a casa e os três mostraram a mãe o que eles conseguiam fazer. A toalha deu um banquete e o burro cuspiu dinheiro. Os quatro viveram felizes para sempre.                                      

Carlos André ( 4-ºano )                                                                                                                                     

publicado por ruipampilhosa às 11:18
link do post | comentar | favorito