Segunda-feira, 09 de Janeiro De 2006

Os ratos fizeram uma casa

Era uma vez três ratos. Um chama-se Rui Pedro, o outro Carlos e o outro Fernando. Eles viviam sozinhos debaixo de velhas raízes de uma árvore. Um dia, decidiram construir uma nova casa porque aquela árvore, onde viviam já estava muito velha.

Num dia de sol, foram dar um passeio e viram uma bela casa com as janelas abertas. Eles foram a correr para casa fazer as malas para irem para a nova casa que tinham encontrado. Levaram a comida que tinham para a sua nova casa. A comida era uvas, queijo e outras coisas para ratos.

Eles foram então para a sua nova casa. Saltaram pela janela. Mas, quando estavam prestes a entrar para um buraco que a casa tinha lembraram-se da sujidade e foram à procura de um esgoto. Não sei se sabem, alguns ratos gostam de de viver na sujidade.

Eles encontraram um esgoto e resolveram entrarem nele. E lá viveram os restos das suas vidas junto das suas primas Natacha e Diana que eram muito bonitas e era nesse esgoto que viviam.

Carlos André (4ºano)


publicado por ruipampilhosa às 14:58
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Dezembro De 2005

A corrida da lebre e da tartaruga

Era uma vez uma lebre que desafiou uma tartaruga para uma corrida.
A lebre chamava nomes à tartaruga. A lebre era o animal mais veloz da floresta.
Ela julgava-se a mais forte de todos.

No dia da corrida elas as duas iam a correr na floresta mas a lebre perdeu-se.
A tartaruga quando chegou à meta viu que a lebre não tinha chegado e foi à sua procura.
Ela encontrou-a no meio da floresta perdida. Então levou a lebre até à meta.

A tartaruga tinha ganho a corrida.A lebre pediu desculpa à tartaruga por ter chamado nomes a ela. Elas ficaram amigas para sempre.
A lebre disse que devia um favor a tartaruga por lhe ter salvo a vida.

A lebre e a tartaruga ficaram amigas para sempre.

Carlos André - 4ºano
publicado por ruipampilhosa às 13:57
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 07 de Dezembro De 2005

O sonho

Imaginem só...

Estava eu no meu quarto a brincar com os meus brinquedos quando de repente ouvi!
- Gosto muito de brincar contigo.
Fiquei gelado de tanto medo, pois aquela voz era-me completamente estranha, e de novo a mesma voz!
- Olha...continua a brincar comigo.
Dizia então um dos meus soldados de chumbo.
Fiquei encantado com tal magia, e sem mais nem menos aquele medo desapareceu por completo.
Quando me olhei era do tamanho dos meus brinquedos no meu quarto que parecia enorme, mas não me encomodou nada, pois os meus amigos brinquedos envolveram-me em brincadeiras tão giras que nem pensei em mais nada.

Cantámos, dançámos, fizemos jogos de roda, jogámos às escondidas, até à bola jogámos um pouco, enfim, fizemos tantas coisas que eu cheguei ao ponto de não poder mais e disse!
-Amigos, estou exausto... não posso mais e tenho que me deitar um pouco para descansar.
Todos eles concordaram, e assim fizemos.

Daí a algum tempo ouvi a minha mãe dizer!
-Então filho, está na hora de arrumares os teus brinquedos e ires para a caminha.

Imaginem só...
Tudo isto não passou de um sonho que me parecia realidade.
Mas não deixou de ser um bom sonho e assim me deitei para dar continuidade a esse sonho maravilhoso.

Imaginem só...

Fernando Rocha ( 4º ano)

publicado por ruipampilhosa às 11:40
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 05 de Dezembro De 2005

O Pai Natal ajudou a menina

Era uma vez uma menina que adorava o Natal porque recebia sempre muitas prendas.

Ela adorava fazer colecções e naquele momento andava a fazer uma colecção de relógios.

Quando chegou o Natal ninguém lhe ofereceu nenhum relógio e ela ficou muito zangada.

A menina foi crescendo e um dia disse à sua mãe que ia comprar dois relógios com o dinheiro que foi poupando. Mas, a sua mãe, disse-lhe para ela ter sempre esperança e talvez para o próximo Natal podia ser que alguém lhe desse algum e ela decidiu não os ir comprar.

Nesse Natal recebeu quatro relógios das pessoas amigas e ficou muito feliz. Mas para a colecção da menina ainda não chegavam. E por isso, resolveu ir comprar mais cinco. Quando ia para os comprar lembrou-se que a mãe lhe disse para ela ter sempre esperança e não os comprou, guardando o seu dinheiro para outras coisas.

Então lembrou-se ir pedir ao Pai Natal.

No final do ano seguinte recebeu dez relógios do Pai Natal e a menina ficou muito feliz porque já tinha muitos relógios. O Pai Natal ajudou-a.

Vitória, vitória acabou-se a história.

Diana Breda - 3º ano






publicado por ruipampilhosa às 14:26
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Novembro De 2005

A galinha e os seus três pintinhos


Era uma vez uma galinha que andava ansiosa para que os seus três ovinhos se partissem para assim nascerem os seus filhinhos.

Certo dia, os seus ovos começaram-se a partir. A mãe galinha chamou logo todas as galinhas e galos que existiam no campo onde viviam. Todos os animais do campo vieram a correr ver o que se passava. Pensavam que era alguma coisa grave. Mas era apenas os pitinhos que tinham nascido e todos ficaram muito felizes.

Fernando (4º ano)


publicado por ruipampilhosa às 11:07
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 10 de Novembro De 2005

A galinha Carla e os três pintainhos.

Era uma vez uma galinha que se chamava Carla. A Carla estava no seu galinheiro a chocar três ovos. Certo dia, dos ovos nasceram pintainhos. Uma vizinha da galinha Carla viu um dos pintainhos e disse que ele era muito feio e colocou-lhe o nome de pintainho Feio.

Passado mais uns dias a Carla queria que os seus filhos aprendessem o abecedario, pois todos eram muito espertos. Para isso, começou a levá-los à escola.

Num domingo foram conhecer melhor a quinta onde viviam e todos gozaram com o pintainho Feio. Os outros filhos chamavam-se Diogo e Fernando.

O pintainho Feio não gostava que gozasem com a mãe , com ele e com os irmãos. A galinha Carla teve de sair da quinta porque não aguentava mais ouvir todos os animais da quinta a gozarem com o seu filho.

Um gato que vivia na quinta comeu os pintainhos das outras galinhas e também queria comer o pintainho Feio mas não o conseguiu. As galinhas foram pedir abrigo à galinha Carla que estava a viver na mata porque ela era a mais forte de todas.
A galinha Carla disse que sim porque ela era bondosa e com o coração meigo. A galinha Carla voltou a ir viver para a quinta.

As outras galinhas aprenderam a nunca mais gozaram com ninguém. E assim todos voltaram a viverem felizes. O gato nunca mais comeu nenhum pintainho porque tinha medo da galinha Carla.

Carlos André - 4º ano
publicado por ruipampilhosa às 11:06
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 09 de Novembro De 2005

As mentiras da avozinha.

Era uma vez uma avozinha que era muito mentirosa. Ela estava sempre a mentir.

Um dia a avozinha foi à padaria. Quando ia a sair começou a gritar e a dizer que o padeiro tinha-se queimado. As pessoas da terra ficaram aflitas e chamaram uma ambulâcia mas era tudo mentira.

Ela foi a outros sítios e continuou a mentir. Como achou engraçado tudo o que tinha ancontecido, voltou a fazer a mesma coisa, e as pessoas acreditar. Mas houve um dia em que o padeiro se tinha queimado e quando a avozinha saíu a gritar ninguém acreditou nela.

Por causa das mentiras da avozinha o padeiro sofreu muito e ela ao ver que tinha feito mal a uma pessoa nunca mais mentiu.

Natacha Mafalda ( 3º ano )
publicado por ruipampilhosa às 14:32
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 08 de Novembro De 2005

O rato preguiçoso

Era uma vez um rato que era muito preguiçoso . Passava os seus dias a dormir e só saía para passear.

Certo dia passou um grupo de ratos e perguntaram se ele queria juntar-se ao grupo para irem apanhar sementes , frutos e algumas raízes pois estava a chegar o Inverno e não poderiam sair de casa para procurar comida quando chegasse o Inverno. O rato disse logo que não pois tinha coisas mais divertidas para fazer como por exemplo ir passar.

Algum tempo tarde, começam a cair os primeiros flocos de neve. O rato percebeu que não tinha nada para comer na despensa. Cada vez estava a ficar mais fraco e lembrou-se que
devia ter ido ao bosque procurar comida com os amigos. Os restantes ratos quando deram pela falta do rato preguiçoso foram à sua procura e encontraram-no cheio de fome.Todos tiveram pena dele e partilharam a comida com ele.

No final avisaram-no para ele não ser tão preguiçoso pois não o voltavam a avisar.

Carlos André 4ºano
publicado por ruipampilhosa às 13:56
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 12 de Outubro De 2005

As cabras

Era uma vez muitas cabras. As cabras tinham um dono mas já era muito velho. Certo dia, o dono das cabras mandou-as para o monte, porque ele estava quase a morrer. Então, as cabras foram para o monte. No monte não havia água para as cabras beberem só havia erva para comerem. Elas estavam cheias de sede e aborrecidas. Mas com o tempo fizeram muitos amigos. As cabras brincavam muito no monte.

Um dia, as cabras foram para a aldeia e encontraram uma menina muito carinhosa. Ela pediu aos pais se poderia ficar com as cabras e eles disseram que sim. A menina ficou muito feliz e notou que elas estavam cheias de sede e por isso deu-lhes água e elas ficaram muito felizes e alegres.

Passado algum tempo elas tinham novos amigos na aldeia. Quando a menina soube que as cabras tinham novos amigos ela ficou muito feliz ao lado das suas cabras.

Diana Filipa - 3º ano
publicado por ruipampilhosa às 14:18
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 30 de Setembro De 2005

O golfinho


Era uma vez um golfinho que era uma fêmea. O golfinho fêmea era muito bonita. Ela chamava-se Bianca. A Bianca era muito vaidosa. A Bianca andava sempre a nadar junto dos outros golfinhos e peixes. Ela era muito bondosa. Ela ajudava os outros peixes, os golfinhos e outros animais que vivem no fundo do mar.

Um dia, ela ficou doente e teve de ficar em casa. Ela tenha ficado com uma doença grave. Passado uma semana ela já estava boa. Ela já podia nadar, brincar e fazer outras coisas.

Certo dia, apareceu outro golfinho no mar e ela apaixonou-se por ele. O golfinho que tinha chegado ao mar onde ela nadava pediu a Bianca em namoro e ela disse que sim.

Passado um mês o golfinho pediu à Bianca se ela queria casar com ele e ela disse que sim .
Eles casaram-se e viveram felizes para sempre.

Natacha Mafalda - 3º ano
publicado por ruipampilhosa às 09:22
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Janeiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

últ. comentários

  • esta é uma adaptação do conto "the ass, the table ...
  • Muito fofa essa história!!!!
  • Gostei muito desta história.P. Monteiro
  • ando a ver se encontro blogs de crianças e encontr...
  • Eu gostei da história do Diogo.Bruno Alci des- 2º ...
  • Gostei muito da história.Acho que todas as escola...
  • Eu acho que a Diana fez uma história muito bonita...

mais comentados

arquivos

2009
2008
    2007
      2006
      2005

      subscrever feeds

      blogs SAPO


      Universidade de Aveiro